Veterinário orienta sobre cuidados extras com pets no Ano Novo

A queima de fogos é o ápice do Réveillon, um espetáculo de cores e formas que encanta, mas para quem tem pets em casa, esse é também um momento de preocupação. Com a audição bem mais sensível que a do homem, os animais ficam agitados e com medo do barulho, que para eles é ensurdecedor, e o associam a um ataque iminente, a um ato de violência: o ouvido humano detecta sons com frequências de até 20.000 Hertz, enquanto o dos cães pode chegar a 50.000, faixa conhecida como Ultrassom.

Segundo Luciano Granemann e Silva, membro do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina, quando houver a queima de fogos é preciso manter o animal no lugar em que ele está acostumado a ficar, onde se sinta tranquilo, e com uma pessoa de confiança que evite uma queda dele de uma escada ou que saia correndo por um portão. Ele diz ainda que o ambiente seja fechado, para abafar o barulho dos fogos, e colocar protetores de ouvidos – vendidos em petshops – ou colocar tampões de algodão, mas não usar coleira, porque o animal assustado vai tentar fugir ou se esconder, por isso, se não for possível deixá-lo dentro de casa, o melhor é colocá-lo em uma área fechada, como uma caixa de transporte grande.

Fonte: radios.ebc.com.br/revista-brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *